GENÉRICOS DERRUBAM PREÇOS



Quando os primeiros registros pelo regime da equivalência foram concedidos – em 2006 – tínhamos registrados 49 produtos genéricos. Hoje, 7 anos depois, temos 67 ingredientes ativos nessa condição de genéricos, ou seja, ofertados por três ou mais empresas.
Alguns daqueles 49 já não existem mais, ou por cortes nas reavaliações, como o Metamidofós e o Endossulfan, ou por descarte mesmo do mercado, como o Triclorfon e o Quintozen, só para dar exemplos.
O fato é que hoje temos mais 21 ingredientes ativos que passaram à condição de genéricos nesses últimos 7 anos foram: Bifentrina, Clomazone, Cloreto de mepiquat, Clotianidina, Diflubenzuron, Epoxiconazole, Fipronil, Flumetralina, Flutriafol, Hexazinona, Hidróxido de cobre, Lambda-cialotrina, Metomil, Metribuzim, Metsulfurom-metil, Paraquat, Picloram, Propiconazole, Sulfato de cobre, Tebutiurom e Tetraconazol.
Buscamos a série de preços levantados pelo Instituto de Economia Agrícola de São Paulo para ter uma idéia do impacto dessa nova concorrência sobre o preço do ingrediente ativo antes com oferta única. São preços à vista na revenda, sem desconto. Vamos a alguns resultados.
INSETICIDAS O Diflubenzurom, sob a marca Dimilin, custava R$ 69,27 / 500 g em out2006 e caiu para R$ 31,33 / 500 g em out2013, uma queda de 55%. O Metomil, sob a marca Lannate BR, era vendido por R$ 21,99 / l em out2006; e em out2013 era ofertado por R$ 19,02 / l. Uma queda de 13,5%. Porém, se compararmos com marcas de genéricos que entraram mais recentemente, como o Brilhantebr e o Methomex 215 SL, que são vendidos a R$ 15,00 / l, a queda é mais expressiva, - de 32%.

Leia o artigo completo baixando o PDF abaixo.


Gostou? Deixe um Comentário